Skip Navigation

Lacas Luso orientais do século XVI e XVII (LJF 2009-2012)

As colecções portuguesas, públicas e particulares, têm grande número de objectos dos séculos XVI e XVII, manufacturados na Ásia por encomenda portuguesa e, como tal, caracterizados pela sobreposição de influências e de técnicas aplicadas.
O estudo comparativo de um conjunto de objectos lacados produzidos para o mercado português, constituiu um dos projectos de estudo na secção de mobiliário.

Este estudo teve total apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia, (FCT), que abriu uma Bolsa de Técnico de Investigação (Ref. SFRH/BTI/33602/2009), ficando seleccionada de entre vários candidatos, Ulrike Korber, para integrar o projecto durante 3 anos. A coordenação dos trabalhos ficou a cargo de Margarida Cavaco.

Do projecto, faz parte o estudo de um conjunto de escudos de aparato e de outros objectos, como caixas, escritórios e tabuleiros, que foram revestidos com laca oriental e com uma decoração resultante de várias influências. 
Deste conjunto, o escudo pertencente ao Museu Nacional de Soares dos Reis (MNSR) já se encontra com a intervenção de conservação concluída. Este escudo é constituído por uma estrutura de madeira e decoração com laca negra e folha de ouro (haku-e). São ainda visíveis vestígios das pegas e de um suporte para o braço, executados em cabedal e revestido a veludo, assim como os pregos para a sua fixação. 
Em avançado estado de degradação, as alterações na dimensão no revestimento de couro resultado das oscilações climáticas, provocaram o destacamento da laca. Deste facto resultaram inúmeras lacunas da laca que, na camada mais superficial do verso, também apresenta forte degradação provocada pela acção da luz que resultou em extensas faltas da laca e da decoração a ouro.