Saltar para o conteúdo principal da página

Notas à Imprensa

Nesta página serão divulgadas as Notas à Imprensa disponibilizadas pela DGPC:

2017

Reabertura ao público do Convento de Cristo


Anúncio do Prémio Sonar Media Art 2017 no MNAC


Historiadora de Arte Emília Ferreira assume direção do Museu Nacional de Arte Contemporânea/Museu do Chiado a partir de 1 de dezembro


 

Exposição do artista gráfico holandês Escher,  inaugura no próximo dia 24 de novembro, no Museu de Arte Popular, em Lisboa


Programa comemorativo do tricentenário do Palácio Nacional

Convite à Imprensa 


 

Sala do Trono do Palácio Nacional de Mafra após restauro


Museu dos Coches recebe exposição 'Arte de Zagreb em Lisboa'

CV Artistas


DGPC e Casa da Arquitectura formalizam parceria


Aquisição de 5 obras para Incorporação nos Museus Nacionais


Congresso Internacional no Mosteiro de Alcobaça


Comunicado de imprensa sobre situação do CNANS


Lançamento do AEPC 2018


Visita prévia para a Comunicação Social  à Exposição “Joan Miró: Materialidade e Metamorfose”,  a ter lugar na Galeria D. Luís I do Palácio Nacional da Ajuda na 5ª feira, dia 7 de setembro, às 11h00


DGPC visita  sitio arqueológico da fragata espanholaNuestra Señora de las Mercedes


Estatísticas DGPC: mais de 2,4 milhões de visitas no 1º semestre de 2017

Mapa de estatisticas DGPC: 1º semestre 2016-2017


Encerramento parcial do Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA)



Convento de Cristo: Conclusões do Inquérito


Festa do Património é já amanhã!


Festa do Património, novo evento DGPC, este ano em 1ª edição


Exposição “Amadeo Souza Cardoso, 2016-1916 Porto-Lisboa” recebe prémio Graphis Merit (EUA) pela excelência do seu Design e Catálogo


Salão do Veículo Eletrico no Museu dos Coches 


Museu Nacional dos Coches 


Museu dos Coches: Inauguração do projeto museográfico Visita prévia destinada aos OCS, 18 de maio, às 11:00


DGPC abre processo de classificação de "A Panificadora"


Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2017: mais de 900 atividades sob o mote Património Cultural e Turismo Sustentável


Dia Internacional dos Museus e Noite Europeia dos Museus

 


 

Programa Luzes e Sombras: Alcobaça no processo régio” [2017]

Colóquio “D. Pedro I, um rei mal conhecido. Nos 650 anos da sua morte (1367-2017)”, 28 de janeiro, 10h30

Ciclo de conferências: sessões a 1 de abril, 3 de junho e 23 de setembro, 15h00

Mosteiro de Alcobaça – Sala do Capítulo

Entrada livre

 

Promovido pela Direção-Geral do Património Cultural/ Mosteiro de Alcobaça em parceria com a Academia Portuguesa da História e com o apoio da Câmara Municipal de Alcobaça, o “Programa Luzes e Sombras: Alcobaça no processo régio” tem como objectivo aprofundar e divulgar o conhecimento sobre as relações que existiram entre a monarquia portuguesa e o Mosteiro de Alcobaça ao longo dos séculos,  contando com a participação de reputados especialistas provenientes de várias universidades e centros de investigação.

O programa arranca com  a realização do Colóquio “D. Pedro I, um rei mal conhecido. Nos 650 anos da sua morte (1367-2017)”, a ter lugar no próximo dia 28 de janeiro, evento que assinalará os 650 anos sobre a morte deste rei, tumulado em Alcobaça, juntamente com a sua “consorte”, Inês de Castro, e cujas arcas tumulárias constituem uma obra prima reconhecida pela UNESCO, em 1989, aquando da inscrição do Mosteiro de Alcobaça na Lista do Património Mundial da Humanidade pela UNESCO.

Em 2017, o programa inclui ainda um ciclo de conferências com sessões marcadas para os dias 1 de abril, 3 de junho e 23 de setembro, o qual terá continuidade em 2018 e 2019.

Esta iniciativa insere-se na implementação da nova estratégia em curso no Mosteiro de Alcobaça, em particular, no âmbito da boa prossecução do objectivo estratégico referente à afirmação do Mosteiro de Alcobaça como centro de estudos e da divulgação da História e do Património da Ordem de Cister em Portugal.


 

Nomeação do Diretor do Palácio Nacional da Ajuda 

Na sequência do concurso realizado no âmbito dos procedimentos concursais estabelecidos pela DGPC para a nomeação de todo o pessoal intermédio, em que se incluem os diretores dos Museus, Palácios e Monumentos, dependentes deste organismo, informamos que foi nomeado, em comissão de serviço, o mestre José Alberto Julinha Ribeiro no cargo de Diretor do Palácio Nacional da Ajuda, que desempenha , também, as funções de Presidente da Comissão Nacional Portuguesa do ICOM desde 2014.

 

Mais informações, no Diário da República .

 


 

2016

Nomeação de todo o pessoal dirigente intermédio da DGPC

No âmbito dos seus poderes de gestão, a Direção da DGPC (Direção Geral do Património Cultural) entendeu como mais adequado o recurso ao procedimento concursal para assegurar a nomeação de todo o pessoal dirigente intermédio, em que se incluem os diretores dos museus, palácios e monumentos dependentes deste organismo.

A medida de gestão atrás referida aplica-se apenas aquando da cessação da atual comissão de serviço daqueles dirigentes, de acordo com o disposto nos artigos 23.º a 25.º da Lei n.º 4/2004, de 15 de janeiro, republicada pela Lei n.º 64/2011, de 22 de dezembro.

 

Já estão a decorrer no âmbito dessa decisão dois procedimentos concursais, a saber para Diretor do Palácio Nacional da Ajuda e para Diretor do Museu Nacional de Arqueologia.

 

Próximos Concursos:

Janeiro 2017:

- M Jerónimos; Mosteiro da Batalha; Conimbriga; M. Grão Vasco; Panteão; M. Soares dos Reis.

Fevereiro 2017:

- C. Cristo; MNAA

Agosto 2017:

- PN Mafra; M Machado de Castro; M Azulejo.

Novembro 2017:

- M. Traje

Dezembro 2017:

- M. Música

2018 :

- M Coches; M Alcobaça;  M Teatro.

 


 

Visitante 1.000.000 do Mosteiro dos Jerónimos

Tal como era previsto atingiu-se , ontem, o milhão de visitantes no Mosteiro dos Jerónimos, coube a um casal de Marselha essa honra Aurore Albert e o namorado, Misha Senelle, 29 e 31 anos. Os milhares de visitantes, de todas as nacionalidades, que todos os dias acorrem ao monumento e formam filas intermináveis merecem que se lhes preste tributo.

Foi entregue um diploma do visitante 1.000.000 e um cartaz com a imagem de um bilhete e ainda um conjunto de pequenas lembranças alusivas ao monumento, livros e um pequeno painel de azulejos.

Ficará na memória destes visitantes esta sua primeira visita a Portugal e aos seus monumentos, sendo este dos mais emblemáticos e Património Mundial da Unesco.

 

 

Exposição Amadeo de Souza-Cardoso, Porto-Lisboa, 2016-1916

A exposição Amadeo de Souza-Cardoso, Porto-Lisboa, 2016-1916 , no Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto, está  a ser um sucesso, nos primeiros 10 dias teve mais de 7500 visitantes, o que mostra o interesse crescente pela obra do artista que marcou uma época e que é um dos maiores nomes da pintura portuguesa.


 

Incidente com a escultura de Arcanjo São Miguel, Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa

A escultura “Arcanjo São Miguel” (MNAA Inv. 554 Esc) sofreu, no domingo, 6 de novembro, pelas 12h02, uma queda da estrutura expositiva em que se mostrava, na Sala 13 do Piso 3, provocada pela forte colisão de um visitante que, caminhando de costas, fotografava outra obra em exposição na mesma sala. A escultura encontrava-se fixada a um plinto, protegido em todo o perímetro por um estrado; após o impacto, os elementos de fixação mantiveram-se presos ao plinto.

Executada em Lisboa no período decorrente entre 1765 e 1790, em madeira de zimbro, com olhos de vidro, dourada e policromada, a escultura foi incorporada em 1922, vinda do espólio do Recolhimento de São Patrício e proveniente do Real Colégio de São Patrício de clérigos irlandeses que antes funcionou naquele espaço.

Em consequência do acidente, soltaram-se as asas do Arcanjo e as plumas de remate do capacete militar (elementos originais aplicados à figura por encaixe). Na análise física e macroscópica registam-se fraturas, ruturas, descolamentos e perdas pontuais da camada de acabamento policromo, nomeadamente na asa esquerda, plumas, braço direito, dedo indicador direito, parte traseira e ponta do manto.

A recuperação desta obra de escultura do tardo-barroco de Lisboa é possível, mas exigirá ao Museu a constituição de uma equipa multidisciplinar para proceder à correcta intervenção sobre o objeto museológico.


 

O Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça, um dos nossos mais emblemáticos monumentos Património Mundial da UNESCO, tem em curso um conjunto de obras e intervenções de conservação e restauro, levadas a cabo pela DGPC.

São Intervenções profundas e necessárias à boa conservação do monumento financiadas através dos reembolsos das intervenções realizadas no âmbito do anterior quadro comunitário (Rota dos Mosteiros Património da Humanidade). No seguimento das obras iniciou-se agora a Conservação e restauro dos elementos pétreos e caixilharias da fachada norte(empreitada adjudicada à empresa In Situ – Conservação de Bens Culturais Lda. Pelo valor de €116.000,01 e que será concluída até ao final deste ano).

A Torre Sul será também intervencionada e haverá ainda outros trabalhos de reparação, que serão desenvolvidos no curso deste e do próximo ano.

A par destas ações a DGPC vai participar intensamente no Colóquio comemorativo do 1º aniversário da inscrição dos manuscritos “Apocalipse do Lorvão” e “Comentário ao Apocalipse do Beato de Liébana” do Mosteiro de Alcobaça no Registo de Memória do Mundo pela UNESCO, no âmbito da candidatura ibérica “Os manuscritos do Comentário ao Apocalipse (Beato de Liébana) na tradição ibérica”.

Mosteiros de Alcobaça dia 28 e Lorvão dia 29 de outubro de 2016.

O Colóquio “Lorvão e Alcobaça no Registo de Memória do Mundo da UNESCO”

a ter lugar nos Mosteiros cistercienses de Alcobaça e Lorvão nos próximos dias 28 e 29 de outubro respectivamente, resulta de uma organização conjunta entre as entidades responsáveis pelo espaços nos quais foram produzidos estes manuscritos, a Direção-Geral do Património Cultural/ Mosteiro de Alcobaça e a Câmara Municipal de Penacova, e as entidades que os guardam e que foram promotoras da sua candidatura à UNESCO: a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas e a Biblioteca Nacional de Portugal.

O encontro tem como objetivos dar a conhecer este Património arquivístico e realçar o elevado espírito de cooperação ibérica que presidiu à construção da candidatura ibérica denominada “Os manuscritos do Comentário ao Apocalipse (Beato de Liébana) na tradição ibérica” e que determinou o seu sucesso em outubro de 2015, com a inscrição de um conjunto de 11 manuscritos (2 portugueses e 9 espanhóis) no Registo de Memória do Mundo, candidatura essa considerada um exemplo de boas práticas no seio da UNESCO. No que diz respeito aos códices portugueses, é de realçar, não só o reconhecimento dado pela UNESCO à excelência do Património arquivístico nacional mas também o facto de constituírem um testemunho material impressionante daquilo que foi a produção do Scriptorium dos Mosteiros de Alcobaça e Lorvão, passando agora a ser reconhecidos à escala global, como Memória do Mundo.

O colóquio conta ainda com a colaboração do Departamento de História, Estudos Europeus, Arqueologia e Artes da Universidade de Coimbra, do Instituto de Estudos Medievais da Universidade Nova de Lisboa e da Subdireção-Geral dos Arquivos Estatais de Espanha. 

No dia 28 de outubro, na Sala do Capítulo do Mosteiro de Alcobaça, estará exposto o códice “Comentário ao Apocalipse do Beato de Liébana”, produzido no Scriptorium do Mosteiro de Alcobaça, no século XIII, que agora é também reconhecido como Memória do Mundo (uma cortesia da Biblioteca Nacional de Portugal), assim como o fac-simile do Apocalipse do Lorvão (cortesia do Arquivo Nacional Torre do Tombo), que também será mostrado no dia 29, no Mosteiro do Lorvão.

Entrada Livre.

 


 

Portugal é o país convidado da AR&PA, a Feira mais importante dedicada ao Património Cultural, realizada na Península Ibérica desde 1998 e promovida pela Junta de Castela e Leão.

A DGPC vai participar nesta Feira que se realiza em Valladolid, Espanha, de 10 a 13 de novembro.

 

Hoje, dia 11 de outubro, 15h00 na Biblioteca do PNA., conferencia de imprensa de apresentação.

Portugal é o país convidado da AR&PA, a Feira mais importante dedicada ao Património Cultural, realizada na Península Ibérica desde 1998 e promovida pela Junta de Castela e Leão.

A DGPC vai participar nesta Feira que se realiza em Valladolid, Espanha, de 10 a 13 de novembro.

O tema genérico deste ano relaciona o Património e a Sociedade criando um espaço de encontro e debate entre profissionais e instituições relacionadas com o conhecimento, a gestão, a recuperação, a salvaguarda e a difusão do Património Cultural.

A Bienal inclui também a realização de um Congresso, dedicado ao tema “Património Inteligente, Território Inteligente”, que contará com a presença de conferencistas portugueses, e a realização de Jornadas Técnicas, onde serão apresentadas experiências portuguesas no domínio da gestão e da comunicação do património no território.

Ainda no âmbito da Feira será atribuído o Prémio Internacional AR&PA de intervenção no Património Cultural. Em 2010 foi atribuído o Prémio Internacional ao projeto de intervenção no Mosteiro de Santa Clara a Velha, em Coimbra e em 2012 foi atribuído o prémio Honorífico a Siza Vieira.

A partir deste ano a Bienal AR&PA e a Feira do Património, que se tem vindo a realizar em Portugal desde 2013, também com uma periodicidade bianual, com o apoio da Direção-Geral do Património Cultural, dará lugar à Bienal Ibérica do Património Cultural, que se realizará alternadamente em Espanha (Valladolid) e em Portugal (itinerante).

 

Programa:

A AR&PA organiza-se em secções abertas ao público em geral e outras orientadas para profissionais:

·         AR&PA Feira: stands expositivos com objectos e iniciativas do património cultural que inclui a AR&PA Negócio, a AR&PA Emprego, a AR&PA Instituições e a AR&PA Museus.

·         AR&PA Congresso Internacional 2016 : “ Património inteligente, território inteligente”

·         AR&PA Forum: apresentações e Jornadas Técnicas de análise e intercâmbio de boas práticas profissionais sobre o Património Cultural

·         AR&PA Inovação: exposição de projetos de I+D+i aplicadas ao património cultural

·         AR&PA em Sociedade: AR&PA Iniciativas, AR&PA em família, AR&PA Para Todos e Aberto por AR&PA – programas sociais sobre o património e sociedade em geral.

·        AR&PA Prémios de Restauro e Intervenção no Património Cultural.

 

Local e Duração:

Centro Cultural Miguel  Dlibes – Avenida Monasterio Nuestra Señora de Prado, 2 C.P.: 47014 – Valladolid. Telf.: + 34 983 385604 /983 376 405

Horário: de 11h00 às 20h00

Duração 10 a 13 de novembro de 2016


 

Concessão do Claustro do Rachadouro no Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça para instalação de um estabelecimento hoteleiro.

Esclarecimento da DGPC

Recuperação das fachadas do Museu Nacional de Arte Antiga

Teve inicio no mês de junho a empreitada de “Recuperação das fachadas Sul e Este do corpo do antigo Palácio Alvor”, com o apoio do Fundo de Reabilitação e Conservação patrimonial, estando em preparação o caderno de encargos para a recuperação da fachada Norte do corpo do Antigo Palácio do Alvor”.


 

Noite dos Museus 


No passado sábado, 21 de maio, celebrou-se mais uma Noite Europeia dos Museus. A Direção-Geral do Património Cultural congratula-se com o êxito alcançado pelos museus e palácios sob a sua tutela que conseguiram este ano alcançar os 50.000 visitantes apenas no período entre as 18.00h e as 24.00h. Um aumento de 350% relativamente a 2015 cujo mérito pertence às equipas dos museus, às entidades públicas e privadas que tanto contribuíram para a definição de um programa de atividades a que o público aderiu com grande entusiasmo.

A cidade de Lisboa beneficiou também, nesta edição, da iniciativa “Museus em Movimento”, uma nova parceria com a Volkswagen que disponibilizou transporte gratuito aos visitantes através de 20 carrinhas em 2 rotas distintas abrangendo 11 museus. Este projeto significou para a DGPC o início de uma nova etapa que aposta na inovação, criatividade, comunicação e aproximação dos públicos aos museus e palácios nacionais.


 

Apresentação de Resultados Globais do Estudo de Públicos de Museus Nacionais

Palácio Nacional da Ajuda, sala D. Luis, 16 de maio de 2016, 15h00

O Estudo de Públicos de Museus Nacionais (EPMN) foi promovido pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC)e abrangeu 14 museus tutelados, tendo como parceiro científico o Centro de Investigação e Estudos de Sociologia-Instituto Universitário de Lisboa (CIES-IUL) e contando com o apoio mecenático da Fundação Millennium bcp e da ONITELECOM.

O EPMN tem como objetivo central a caraterização dos públicos dos museus nacionais visando desenvolver o perfil social dos visitantes de cada um dos 14 museus, dos seus diversos segmentos, e identificar um perfil global dos públicos dos museus nacionais.

O EPMN é um projeto estruturante e inovador na área dos estudos de públicos de museus em Portugal já que se trata do primeiro estudo realizado no país que compreende uma amostra representativa – alargada no tempo (12 meses) e nos museus abrangidos (14) – dos visitantes de museus nacionais (13.853 questionários validados).

Os resultados do EPMN serão fundamentais para apoiar a tomada de decisão informada para a futura definição de estratégias de captação, fidelização e aumento dos visitantes dos museus tutelados pela DGPC, bem como para a implementação de políticas culturais que melhorem o acesso à cultura, aos museus e às suas coleções.

Pretende-se que o EPMN possa vir a constituir-se como matriz para implementação no universo dos 146 museus da Rede Portuguesa de Museus (RPM) e que constitua um ponto de partida para estudos aprofundados, qualitativos, das diversas dimensões inquiridas, bem como para a realização de estudos mais específicos nos museus nacionais.

Tratando-se de uma investigação quantitativa que utiliza como método de recolha de dados o inquérito por questionário, os próprios visitantes preencheram o questionário on-line em computadores com ligação à internet, dedicados ao estudo, colocados no final do percurso de visita em cada museu.

O questionário esteve disponível em 4 línguas – português, inglês, francês e espanhol – e as questões a inquirir foram organizadas em torno dos seguintes temas principais: a relação com o museu; as características da visita; a avaliação do museu; a avaliação da exposição; a relação com os universos culturais e em especial dos museus; a notoriedade dos serviços desconcentrados da DGPC; os dados sociográficos dos inquiridos e as suas sugestões e opiniões quanto aos museus visitados e às experiências de visita.

Decorridas as duas primeiras fases do EPMN (preparação e trabalho de terreno/aplicação), está em execução a terceira fase do projeto que consiste no tratamento e análise dos dados recolhidos e na apresentação dos resultados finais (globais e de cada museu) e respetiva publicação, fase que decorrerá até ao termo de 2017.

Os resultados globais apresentados a 16 de maio de 2016 constituem apenas uma primeira síntese global mas permitem, desde já, traçar o perfil dos públicos, das suas avaliações dos museus visitados, da notoriedade das instituições tuteladas pela DGPC, entre outras conclusões que seguramente reforçarão a articulação cada vez mais indispensável dos museus com os públicos.

Pretendendo-se que o EPMN venha a ser uma referência nacional na área disciplinar dos estudos de públicos de museus, colmatando uma lacuna e procurando aproximar Portugal em relação aos países europeus e ocidentais mais desenvolvidos nesta área, torna-se essencial promover a sua divulgação alargada a vários níveis e para diversos públicos-alvo, desde os profissionais dos museus e a comunidade académica ao público em geral.

Museus (14) tutelados pela DGPC que integraram o Estudo de Públicos de Museus Nacionais (EPMN)

Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves

Museu Monográfico de Conimbriga

Museu Nacional de Arqueologia

Museu Nacional de Arte Antiga

Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado

Museu Nacional do Azulejo

Museu Nacional dos Coches

Museu Nacional de Etnologia

Museu Nacional Grão Vasco

Museu Nacional de Machado de Castro

Museu Nacional da Música

Museu Nacional de Soares dos Reis

Museu Nacional do Teatro e da Dança

 

Museu Nacional do Traje

Estatísticas de visitantes 2015

Relatório breve de visitantes 2015

Estatísticas visitantes nacionais e estrangeiros 2015

 


 

Museus em Movimento

CONVITE À IMPRENSA

No âmbito da parceria já anunciada entre a DGPC e a Volkswagen, temos o prazer de vos convidar para inaugurar connosco uma das rotas da iniciativa Museus em Movimento. A ideia é antecipar a experiência que os visitantes e participantes nas atividades programadas para a Noite dos Museus poderão usufruir com esta iniciativa.

O encontro está previsto para as 17h30 do dia 18 de Maio no Museu Nacional da Música, onde decorrerá um dos concertos integrados no ciclo Um Músico, Um Mecenas.

Terminado o concerto e graças à iniciativa Museus em Movimento, iremos até ao Museu Nacional dos Coches, onde a viatura Pão de Forma, de 1953, ficará em exposição ao público durante o Dia e a Noite dos Museus.

 

Programa:

17h30 – Museu da Música: Acolhimento por parte da Direção da DGPC e da Direção da Volkswagen;

18h00 – Assistir a um concerto único: Levon Mouradian e Marina Dellalyan tocarão dois instrumentos históricos, o Violoncelo Stradivarius Chevillard - Rei de Portugal – D. Luis I (1725) e o piano Bechstein (1925), da coleção do Museu Nacional da Música, interpretando obras de Schubert, Schumann e Manuel de Falla.

Um Músico, Um Mecenas é um ciclo de concertos organizado pelo Museu Nacional da Música e que tem como objetivo divulgar o seu importante acervo, dando uso a tesouros nacionais e instrumentos de valor histórico único da sua coleção, considerada uma das mais ricas da Europa;

19h00 – Transporte em viatura Histórica Volkswagen e em algumas das carrinhas da parceria desde o Museu da Música para o Museu Nacional dos Coches passando por alguns dos museus que integram a Rota 2.

Para saber mais

 


 

Palácio Nacional da Ajuda – Conservação e Restauro da fachada Este

A Direção Geral do Património Cultural deu inicio, em 2013, a um programa de recuperação das fachadas do Palácio Nacional da Ajuda. Está em curso a segunda fase de trabalhos que tem como objeto a fachada de aparato do conjunto edificado, voltada a nascente.

Os trabalhos abrangem o revestimento em material pétreo, os caixilhos de madeira e a instalação pontual de um sistema dissuasor de aves.

O Valor é de 328.301,89 € e o Prazo de execução 180 dias (com data de conclusão para junho de 2016) .


 

Destruição da estátua de D. Sebastião, Edificío da Estação de Caminhos de Ferro do Rossio, Lisboa

Na sequência da destruição da estátua de D. Sebastião, no Edifício da Estação de Caminhos de Ferro do Rossio, em Lisboa, imóvel classificado de interesse público, pelo Decreto n.º 516/71, DG, I Série, n.º 274, de 22-11-1971, informa-se que a DGPC intervirá, como entidade fiscalizadora, no caso do restauro, visto ser um edifício classificado. 

O restauro será da inteira responsabilidade da entidade detentora do edifício, a Infraestruturas de Portugal.

Para mais informações:

http://www.monumentos.pt/site/app_pagesuser/SIPA.aspx?id=4979

http://www.dre.pt/pdf1s/1971/11/27400/17981799.pdf 


 

Revista Património número 3

Apresentação hoje, 15 de março, às 18h30, no Museu Nacional dos Coches

É apresentado hoje o Nº3 da Revista Património, às 18h30, no Museu Nacional dos Coches.

O tema do Caderno da Revista “Património Cultural e Comunicação” será o mote para uma conversa com Maria Teresa Cruz, António Guerreiro, António Filipe Pimentel e Duarte Azinheira, conduzida por Manuel Lacerda.

A Revista Património é uma publicação periódica da Direção-Geral do Património Cultural, produzida em parceria com a Imprensa Nacional Casa da Moeda, de difusão alargada de conteúdos respeitantes ao domínio do Património Cultural, que procura refletir a diversidade de domínios e escalas do património (território, cidade, museus, monumentos, projetos) dirigindo-se a um público abrangente e a diferentes grupos socioprofissionais ligados às diversas áreas do património cultural.

Este número 3, com 184 páginas, reunindo 22 artigos de 30 autores, com o preço de venda ao público de 15€, dedica o seu Caderno ao tema “Património Cultural e Comunicação”, através de 8 artigos refletindo diferentes sensibilidades, perspetivas e práticas; outros temas, como os instrumentos de gestão de bens imóveis classificados, a salvaguarda da paisagem urbana, o património industrial, o museu dos Coches, os projetos de restauro no Mosteiro de Alcobaça, o inventário da obra do Arquiteto Norte Júnior, as arquiteturas insólitas e marginadas, o património na cultura escolar no final do século XIX ou ainda o turismo industrial em São João da Madeira, distribuem-se pelas diferentes rubricas da Revista.

Imagem


 

2015

19.865 visitantes no primeiro fim-de-semana em que esteve aberto do Museu Nacional dos Coches

A Direção-Geral do Património Cultural congratula-se em anunciar que o Museu Nacional dos Coches, no primeiro fim de semana em que esteve aberto ao público, recebeu 19.865 visitantes.

Durante estes dois dias foram ainda realizadas cerca de 250 visitas guiadas percorrendo o espaço que alberga uma coleção de referência, única no mundo, de viaturas de gala e de passeio do séc. XVI até ao início do séc. XX, na sua maioria provenientes dos bens da coroa ou propriedade da Casa Real portuguesa.

Para o Diretor-Geral do Património Cultural, Nuno Vassallo e Silva “este grande fluxo de público nos dois primeiros dias de abertura, para o qual foi preparado um programa especial, revela o excecional interesse pelo novo museu de Lisboa, ao mesmo tempo que se associa às celebrações dos 110 anos da sua fundação.

Para todos os funcionários do museu e da DGPC, esta grande adesão de visitantes reveste-se de especial significado pelo reconhecimento de todo o trabalho realizado no último ano”.


 

Inauguração da Exposição de Arqueologia “Quem nos Escreve desde a Serra”no  Museu Nacional de Arqueologia

30 de maio, às 21h00, Museu Nacional de Arqueologia, Lisboa

No próximo dia 30 de maio de 2015, às 21h00, será inaugurada no exterior, junto à entrada do Museu Nacional de Arqueologia, a exposição de rua itinerante sobre as estelas com escrita do Sudoeste e Idade do Ferro. Organizada pelo Museu Nacional de Arqueologia, pela Câmara Municipal de Loulé, pelo Projeto ESTELA, com a colaboração do Projeto EUROVISION, estará patente ao público até ao dia 27 de Setembro.

A escrita do Sudoeste é a voz que nos aproxima dos pensamentos e modos de vida do passado, um dos maiores tesouros da arqueologia europeia,de cariz excecional, uma imagem de marca da serra que divide o Alentejo e o Algarve e um símbolo privilegiado da herança histórica da região. Ela é, afinal, a primeira manifestação, bem caracterizada, de escrita da Península Ibérica e uma das mais antigas da Europa e que está, ainda hoje, por decifrar.

No âmbito da inauguração desta exposição, no interior do Museu, também haverá uma evocação dos 35 anos da exposição "A I Idade do Ferro no Sul de Portugal: Epigrafia e cultura", organizada em 1980 por Caetano de Mello Beirão e Mário Varela Gomes. Esta exposição apresentou alguns dos objetos mais emblemáticos ligados à investigação sobre a escrita do Sudoeste e Idade do Ferro que se encontram depositados no Museu Nacional de Arqueologia, tendo, também, reunido o maior conjunto de estelas e servido de base a importantes estudos sobre esta escrita.

No relvado do Mosteiro dos Jerónimos, terá lugar uma abordagem contemporânea do tema pelos artistas plásticos El Menau e Ângela Menezes através da apresentação de uma pintura mural e de uma instalação contemporânea, no espaço contíguo à exposição.

Durante os meses de exibição da exposição, haverá lugar a um extenso plano de atividades, como a apresentação de um documentário sobre a evolução do tema, um concurso literário, um ciclo de debate cientifico sobre o tema, a apresentação de uma estela com escrita do Sudoeste, visitas guiadas e diversificadas atividades infanto-juvenis, entre muitas outras. 

A exposição conta ainda com o apoio da Direção Regional de Cultura do Alentejo, da Direção Regional de Cultura do Algarve, da Junta de Freguesia do Ameixial, da Junta de Freguesia de Belém, da Junta de Freguesia de Benafim, da Junta de Freguesia de Salir, do Museu Municipal de Faro, da Direção- Geral do Património Cultural e da Lusitânia Seguros, S.A..

 

Imagem


 

Inauguração da Exposição “Tempos de Dança: Evocação do Estúdio-Escola de Dança Clássica de Anna Mascolo”

Museu Nacional do Teatro e da Dança, 29 de abril, às 18h00

A Direção-Geral do Património Cultural associa-se às comemorações do Dia Mundial da Dança e  apresenta na Galeria de Exposições temporárias do Museu Nacional do Teatro e da Dança uma exposição que, mais do que uma homenagem a Anna Mascolo, é sobretudo um projeto museográfico que evidencia a intimidade vivida naquele Estúdio-Escola. São disso testemunho as peças e objetos expostos que nos trazem ainda à memória o cheiro, as cores e o som de um sentido de vida e de continuidade de um trabalho artístico que, apesar de agora musealizado enquanto memória de Tempos de Dança, continuará a ter futuro, e que é provavelmente, a par do enorme talento e inigualável elegância que espalhou pelos palcos de todo o mundo, o maior legado que Anna Mascolo nos deixa.

É também uma exposição centrada no grande contributo de Anna Mascolo enquanto pedagoga, formadora e produtora de conhecimento no domínio da dança e do ensino artístico em Portugal que, por maisde 50 anos, ensinou alguns dos nossos maiores bailarinos, dezenas de crianças e jovens que, através da aprendizagem da dança,ganharam mais um contributo para a formação artística, para o desenvolvimento e conhecimento do corpo, do sentido estético e do gosto.

Poderá ser vista, nesta exposição temporária, entre outros objetos e documentos, uma excecional coleção de cartazes de dança, música e teatro, dois tutus que marcaram a carreira de Anna Mascolo, uma coleção de programas e fotografias que noticiam o trabalho de muitos dos alunos que passaram por aquela Escola-Estúdio e uma rara coleção de gravuras de figurinos para dança de Leon Bakst.

A inauguração contará com a presença de Anna Mascolo, do Diretor-Geral do Património Cultural e de muitos dos ex-alunos e outras personalidades ligadas à Dança e à vida cultural e artística do nosso país.


 

25 anos de restauro da Charola do Convento de Cristo em livro - Lançamento dia 22 de abril, Convento de Cristo, às 11h30

“A Charola do Convento de Cristo. História e Restauro”, obra que regista e pretende divulgar mais de 25 anos de estudo, conservação e restauro de um dos mais originais e emblemáticos monumentos da arquitetura templária e da Arte europeia, é apresentada, no próprio lugar, quarta-feira próxima, dia 22 de abril, às 11H30.

O lançamento do livro está a cargo de José Seabra Carvalho, historiador de Arte e diretor-adjunto do Museu Nacional de Arte Antiga.

Nesta edição da Direção-Geral do Património Cultural assinalam-se a inevitabilidade e qualidade das várias equipas multidisciplinares, associadas numa coerência e persistência de critérios e o apoio mecenático imprescindível da CIMPOR Intercement à extensa e exigente intervenção, entre 2007 e 2013.

As equipas envolvidas nesta intervenção em cerca de 2000 metros quadrados de ornamentação do período manuelino, início do século XVI, debateram-se com a multiplicidade de suportes e técnicas artísticas, sem paralelo em território português e que converteram este local num paradigma da Arte Portuguesa (pintura sobre pedra, escultura em madeira policromada, talha dourada, guadamecil, estuques pintados e pintura de cavalete de grandes dimensões).

O trabalho meticuloso do restauro da Charola institui-se como compêndio e é uma importante contribuição não só para a História da Arte, mas também para a História da Conservação e Restauro, à escala nacional e internacional.

Texto


 

Inauguração da primeira exposição internacional do Museu Nacional de Arqueologia - “Lusitânia Romana: Origem de dois povos  /  Lusitania Romana: Orígen de dos pueblos”

Esta exposição é organizada conjuntamente pelo Museo Nacional de Arte Romano (Mérida) e pelo Museu Nacional de Arqueologia (MNA), sob a égide do Gobierno da Extremadura, e com a colaboração científica da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Uma exposição que foi concebida e preparada para ser apresentada nestes dois museus.

Texto


 

Protocolo de cooperação entre a DGPC  e o Minístério da Cultura do Reino da Tailândia para o Intercâmbio de Informação Conducente à Implementação de Estratégias de Proteção e Valorização do Património Cultural e de Políticas Museológicas.

Dia 12 de março será celebrado na cidade de Bangkok um protocolo de cooperação entre a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) e oDepartamento de Belas Artes do Ministério da Cultura do Reino da Tailândia.

Texto

Imagem


 

Apresentação do Plano de Conservação e Restauro das Abóbadas da Igreja do Mosteiro dos Jerónimos

Coro Alto, 22 de janeiro, às 10h30, entrada pelo Mosteiro dos Jerónimos

Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) e a Associação World Monuments Fund Portugal (WMF Portugal) apresentam publicamente a Fase 2 do Plano de Conservação e Restauro das Abóbadas da Igreja do Mosteiro dos Jerónimos no próximo dia 22 de janeiro, às 10h30.

Esta Fase que tem o custo aproximado de € 150 000,00 é financiada em 2/3 pela WMF Portugal e estará concluída em início de maio de 2015. Insere-se num Plano maior para toda a igreja, desenvolvido pelo Departamento de Obras da DGPC para o decénio de 2012 a 2022 (ano em que se comemora os 500 anos da conclusão da igreja) compreende cinco fases interiores e cinco fases exteriores e está estimado em cerca € 2.000.000.

A World Monuments Fund Portugal, através de um acordo protocolado em 7 de maio de 2014 com a Direção-Geral do Património Cultural, está desde então a colaborar neste projeto através do apoio científico, técnico e de angariação de fundos junto de mecenas nacionais e internacionais.

A investigação histórica, os estudos e levantamentos efetuados desde 1999, e a intervenção realizada durante a Fase 1, em 2013, permitiram identificar e caracterizar as diversas patologias e elencar as respetivas causas que depois de analisadas e discutidas pela equipa técnica da DGPC e por investigadores de diversas instituições, permitiram a elaboração e concretização do Plano confirmando a sua urgência.

As belíssimas e amplas abóbadas da Igreja dos Jerónimos, obra da responsabilidade João de Castilho (1470–1552) que dirigiu esta empreitada entre 1517-22, são uma obra única, absolutamente inovadora para a época em que foram construídas e um exemplo maior do estilo manuelino em Portugal. Após 5 séculos estão hoje a necessitar de uma intervenção urgente que as conserve, mantendo a integridade física e estética deste Monumento, para as futuras gerações e para os milhares de visitantes portugueses e estrangeiros que todos os anos as visitam.

Todas as questões poderão ser esclarecidas in loco e, excecionalmente, será permitido aos presentes o acesso, em segurança, à superfície das abóbadas.

Imagens:

 

Videos: 

Reportagem RTP 1 Portugal em Direto

(1ª parte)

(2ª parte)

(versão resumida)


 

Direção-Geral do Património Cultural ultrapassa os 3 milhões e meio de visitantes em 2014

Durante o ano de 2014 os Monumentos, Palácios e Museus sob gestão da Direção-Geral do Património Cultural registaram mais de três milhões e meio de visitas (3.577.433), representando uma subida de mais de 100 mil visitantes relativamente ao ano anterior. 

Texto


 

José Sasportes faz doação da sua biblioteca ao Museu Nacional do Teatro

14 de janeiro, às 12h, Museu Nacional do Teatro, Lisboa

Assinatura de protocolo, no Museu Nacional do Teatroque formaliza a doação da biblioteca e do espólio documental referente à arte da dança pertencente a José Sasportes.

Texto


 

2014

Direção-Geral do Património Cultural procedeu à aquisição do Centro de mesa da baixela da rainha D. Maria Pia  para integrar a coleção do Palácio Nacional da Ajuda e da pintura “Retrato da mulher do artista” de Columbano Bordalo Pinheiro para integrar a coleção do Museu Nacional de Arte Contemporânea-Museu do Chiado

Texto

Imagem

Imagem


 

Primeiro Estudo de Públicos de Museus Nacionais

Texto

Imagem


 

Início da Celebração dos 500 Anos da Torre de Belém

Texto

Imagens:


 

Cerimónia de Adesão de seis novos museus à Rede Portuguesa de Museus - 14 de novembro, às 17h, Palácio Nacional da Ajuda, Lisboa

Texto

Imagem


Encontros com o Património - programa radiofónico – ganha  prémio da UE para o Património Cultural. Prémios Europa Nostra de 2014

Haia/ Bruxelas, 20 Março – A Comissão Europeia e a organização Europa Nostra anunciaram hoje os vencedores do Prémio da União Europeia para o Património Cultural/Prémios Europa Nostra de 2014.

Texto


 

Nomeação do novo Diretor do Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado

Texto

Nota Curricular

 


Nomeação do novo Diretor do Palácio Nacional da Ajuda

Texto

 


7ª edição do passatempo de fotografia Num Instante o Património

Início a 17 de Abril

No próximo dia 17 de abril, arranca mais uma edição do passatempo nacional de fotografia Num instante… o Património!, organizado pela Direção-Geral do Património Cultural, desta vez com a parceria da Olhares.com.

A iniciativa integra-se na Experiência Fotográfica Internacional dos Monumentos (EFIM), do Conselho da Europa.

Texto 

Cartaz


 

18 de abril 
Dia Internacional dos Monumentos e Sítios com o tema Lugares de Memória


640 atividades  por todo o Território Continental e Regiões Autónomas, distribuídas  por 170  Concelhos,  contam com a participação de 345 entidades públicas e privadas. 

O Património Mundial da DGPC tem Entrada Livre

O acesso à vasta maioria das atividades é gratuito

 

O programa detalhado pode ser consultado em: www.patrimoniocultural.pt

Texto

Cartaz


 

Inauguração da Exposição O Tempo Resgatado ao Mar no Museu Nacional de Arqueologia

19 de março, às 18h30

Texto

Convite

Cartaz

Imagem 1

Imagem 2

Imagem 3

Imagem 4

Imagem 5


 

Apresentação do restauro integral da charola do Convento de Cristo, com apoio mecenático exclusivo da CIMPOR

16 de abril, às 11h30, na Charola do Convento de Cristo, em Tomar

Uma obra de arte única com cerca de dois mil metros quadrados…

Texto 1

Texto 2

Imagem 1

Imagem 2


 

Exposição de Fernando Botero em Lisboa marca visita de Estado do Presidente da República da Colômbia a Portugal

Lisboa, 4 de Outubro de 2012 – O Gabinete da Secretaria de Estado da Cultura e a Direção Geral do Património Cultural anunciaram, esta quinta-feira, a abertura ao público no dia 14 de Novembro, na Galeria de Pintura D. Luís I do Palácio da Ajuda, de uma exposição composta por obras do artista plástico colombiano Fernando Botero.

Texto

Imagem


 

Fundação Millennium bcp apoia o restauro do Altar de Santo António no Convento da Madre de Deus - Museu Nacional do Azulejo

Texto

Imagem


 

2014

 

Encontros com o Património - programa radiofónico – ganha  prémio da UE para o Património Cultural. Prémios Europa Nostra de 2014

Haia/ Bruxelas, 20 Março – A Comissão Europeia e a organização Europa Nostra anunciaram hoje os vencedores do Prémio da União Europeia para o Património Cultural/Prémios Europa Nostra de 2014.

Texto

 


Nomeação do novo Diretor do Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado

Texto

Nota Curricular


Nomeação do novo Diretor do Palácio Nacional da Ajuda

Texto


Direção-Geral do Património Cultural conclui trabalho relativo a 171 procedimentos de classificação no decurso do primeiro semestre de 2013

Texto

Imagem 1

Imagem 2

Imagem 3

Imagem 4