Saltar para o conteúdo principal da página

Museu Biblioteca da Casa de Bragança

A construção do Paço Ducal de Vila Viçosa, onde o museu está instalado, iniciou-se em 1501, tendo as obras de fundo terminado com D. Maria I, no final do séc. XVIII. O espaço a visitar abarca o Andar Nobre, incluindo o acervo obras de Artes Decorativas, Pintura, Escultura, Têxteis. No piso térreo do palácio estão instalados a Armaria e o Tesouro e, em dependências anexas, a Coleção de Carruagens.

O Museu Biblioteca da Casa de Bragança - Paço Ducal de Vila Viçosa foi criado em 1933, embora a sua origem remonte a 1915, data do testamento do último rei de Portugal, D. Manuel II.

Instalado desde a década de trinta do século XX num dos mais relevantes monumentos portugueses, o Paço Ducal de Vila Viçosa, o Museu também ocupa atualmente as instalações do Castelo de Vila Viçosa, abrangendo uma totalidade de seis núcleos museológicos, que albergam coleções diversificadas e de grande relevância patrimonial.

Núcleos

Armaria – Na construção mais antiga ainda em estilo gótico-mudéjar, situada no piso térreo, dispõem-se a grande coleção de armas e apetrechos bélicos – mais de 2.000 objetos. O tema dominante é a caça, principal razão das frequentes visitas dos últimos membros da Família Real a Vila Viçosa.

Tesouro - Alberga as Cruzes Relicário de Vila Viçosa e de Dona Catarina de Bragança, bem como mais cerca de 200 peças de Ourivesaria, Pintura, Vidro, Cerâmica.

Azul e Branco da China - A maior coleção particular de porcelana chinesa Azul e Branca (séculos XV a XVIII) encontra-se no Paço Ducal em depósito de longa duração.

Carruagens - Núcleo que reúne oitenta carros dos séculos XVII a XX. Uma dezena de carros são propriedade ou depositados na Fundação.

Arqueologia - Este núcleo está instalado no piso térreo do Castelo. Abarca peças do Paleolítico ao século XVIII, sobretudo materiais romanos recolhidos em escavações efetuadas em propriedades da Fundação. Inclui peças oriundas de antigas civilizações mediterrânicas – Egito, Roma, Cartago - e pré-colombianas.

Caça - Para além de espécies venatórias e armas de caça das coleções do Museu-Biblioteca, apresenta a vasta coleção reunida pelo Eng.º Lopo de Carvalho, que aqui se encontra depositada.

Conteúdos editados pela DGPC/DMCC.

Contactos e
Localização

Tutela:
Fundação da Casa de Bragança
Director(a):
Maria de Jesus Monge
Endereço:
Palácio Ducal de Vila Viçosa - Terreiro do Paço, 7160-251 Vila Viçosa
GPS:
Lat: 38,78206211902288 Long: -7,421503537959325
Telf(s):
+351 268 980 659
Fax(s):
+351 268 989 808
E-mail:
palacio.vilavicosa@sapo.pt
Site:
http://www.fcbraganca.pt/

Autocarros urbanos: Autocarros Lisboa-Évora-Vila Viçosa

Estacionamento: Estacionamento no Terreiro do Paço.

HORÁRIO (Outubro a Maio)

Terça-feira: 14h00-17h00 (última visita às 16h)

Quarta-feira a Domingos: 10h00-13h00; 14h00-17h00 (última visita às 16h)

 

HORÁRIO (Junho a Setembro)

Terça -feira: 14h-18h (última visita às 17h)

Quarta-feira a Domingos: 10h00-13h00; 14h00-18h00 (última visita às 17h)

 

Os núcleos museológicos encerram às segundas-feiras e terças-feiras durante amanhã, bem como nos feriados nacionais

Ingresso

Paço Ducal (visita de cerca de 1 hora): €7,00

Armaria (visita de cerca de 1 hora): €3,00

Coleção de Porcelana Chinesa (visita de cerca de 30 minutos): €2,50

Coleção de Carruagens (visita de cerca de 30 minutos): €3,00

Tesouro (encerrado ao fim-de-semana, visita de cerca de 30 minutos): €2,50

Castelo: Núcleos da Arqueologia e Caça (visita de cerca de 1 hora): €3,00

Isenções:

Crianças até aos 12 anos e à terça-feira para munícipes.

Descontos:

Reduções para grupos escolares de terça a sexta, mediante contacto e confirmação prévios.

Acolhimento

Receção/loja

Centro de Documentação / Biblioteca

Responsável: Carlos Saramago.

A Biblioteca está aberta ao público em geral nos dias úteis das 10h00 às 13h00 e das 15h00 às 18h00.

O seu acervo incluí c. 30.000 volumes de carácter geral. Os Reservados – Biblioteca de Manuel II – e os Arquivos da Casa de Bragança, da Fundação da Casa de Bragança, Musical e Fotográfico podem ser consultados no mesmo horário mediante marcação prévia.

1984 TEIXEIRA, José, Pousão 1859-1884

1984 TEIXEIRA, José, D.Fernando II, Rei-Artista Artista-Rei

1985 NOLEN, Jeannette, Cerâmica Comum de Necrópoles do Alto Alentejo

1990 GUEDES, Mª Natália Correia e TAXINHA, Mª José, Mantos Régios e Paramentos do Paço Ducal de Vila Viçosa

2000 MONGE, Maria de Jesus, Roteiro do Paço Ducal de Vila Viçosa (edição em português e em inglês) E ainda, entre outros

2001 FIGUEIREDO, João, Armaria do Paço Ducal de Vila Viçosa

2002 BUGALHO, Miguel, O Veado na Tapada Real de Vila Viçosa

2002 RUAS, João (Introdução, organização e índices) Biblioteca de D.Manuel II. Impressos dos séculos XV e XVI

2004 NOLEN, Jeannette, Roteiro do Museu Arqueológico do Castelo de Vila Viçosa (edição em português e inglês)

2004 GUEDES, Natália Correia (coord.), Thesaurus. Vocabulário de objectos do culto católico

2004 RUAS, João (Introdução, organização e índices) Biblioteca de D.Manuel II. (Vol. II) Impressos Séc. XVII e XVIII

2006 GUEDES, Natália Correia (coord.), São Francisco Xavier - A Sua Vida e o Seu Tempo [1506 -1552]

2006 RUAS, João (Introdução, organização e índices), Manuscritos da Biblioteca de D. Manuel II

2007 SILVA, Raquel Henriques da e MONGE, Maria de Jesus, El-Rei D. Carlos, Pintor

2008 SERRÃO, Vitor, O Fresco Maneirista do Paço Vila de Viçosa (1540-1640)

2010, MONGE, Maria de Jesus, Museu-Biblioteca da Casa de Bragança: de Paço a Museu Livros de Muitas Cousas, nº 5

2010 MONGE, Maria de Jesus, Roteiro do Paço Ducal de Vila Viçosa / com versões em português, francês e espanhol

2011, HALLETT, Jessica, SENOS, Nuno, De Todas as Partes do Mundo. O património do 5º duque de Bragança, D. Teodósio I

2014, SOROMENHO, Miguel, O Convento dos Agostinhos de Vila Viçosa, panteão dos duques de Bragança Livros de Muitas Cousas, nº 3

2015 FARRA, Maria Lúcia, VILELA, Ana Luísa, Manuscritos de Florbela Espanca, Edição fac-similada

2017 LUNA, Rui Castilho, “A Sua Magestade a Rainha D. Amélia de Portugal” Um raro acervo musical, Livros de Muitas Cousas, nº 4

2018 CAETANO, Joaquim, Garcia Fernandes e Diogo de Contreiras: dois pintores do Renascimento e a Casa de Bragança, Livros de Muitas Cousas, nº 7

2018 COELHO, Maria de, MALHADO, Sara, A menina que veio do outro lado do Oceano

2018, FELISMINO, David, NORUEGAS, Elodie, LUNA, Rui Castilho de, MONGE, Maria de Jesus, LOPES, Maria Antónia,  Catálogo "A Educação dos Príncipes nas Coleções do Museu-Biblioteca da Casa de Bragança"

2018 FERREIRA, Maria João, Os Têxteis e a Casa de Bragança - Entre a utilidade e o deleite

2018 FLOR, Susana Varela, FLOR, Pedro, Retratos do Paço Ducal de Vila Viçosa, Livros de Muitas Cousas, nº 6

2019, COELHO, Teresa de Campos, Os Nunes Tinoco, uma dinastia de arquitectos régios dos séculos XVII e XVIII

2019 LUNA, Rui Castilho de, A música na Corte da Rainha D. Maria II de Portugal, Livros de Muitas Cousas, nº 9

2019 PÁSCOA, Marta, O Códice 702 - Um cartolário de D. Jaime de BragançaLivros de Muitas Cousas, nº 1

2019 PÁSCOA, Marta, D. Jaime de Bragança. Contributos para uma biografia Livros de Muitas Cousas, nº 2

2019 PÁSCOA, Marta, MONGE, Maria de Jesus, GOMES, Virgílio Nogueiro, Menus da Família Real (Coleção do Museu-Biblioteca da Casa de Bragança) 2019 VALE, Teresa Leonor, FARIA, Ana Leal de, FERREIRA, Maria João, Régio Aparato e Soberano Festejo. (As cerimónias de sagração da Real Basílica de Mafra em Outubro de 1730) 2019, WITTE, Cláudia Thomé, Maria da Glória, uma princesa brasileira no trono de Portugal, Livros de Muitas Cousas, nº 8

 

Actualizado em 25 março 2014

Corrigido em 23 junho 14, de acordo com resposta da Diretora (por email) depois de confirmação no site dgpc on-line

Agenda Cultural

Última actualização: 09 Junho 2020

Rede Portuguesa de Museus

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) é um sistema organizado de museus, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus.

A Rede Portuguesa de Museus é composta pelos 156 museus que atualmente a integram. A riqueza do seu universo reside na diversidade de tutelas, de coleções, de espaços e instalações, de atividades educativas e culturais, de modelos de relação com as comunidades e de sistemas de gestão.

+ Monumentos e Museus DGPC