Saltar para o conteúdo principal da página

Iniciativas 31/10/2018

Conferência Desafios XXI: o futuro do Património Cultural passou por Lisboa

A ideia de que a Cultura deve ser gerida de forma integrada através de políticas públicas inclusivas que respondam às condições de risco e de rápida mudança foi sublinhada na Conferência Património Cultural Desafios XXI, que se realizou nos dias 25 e 26 de outubro de 2018 em Lisboa.

Organizado pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), este encontro reuniu na Fundação Calouste Gulbenkian, entidade parceira do evento, cerca de 350 especialistas em Património Cultural, entre investigadores, académicos, profissionais do setor e responsáveis de diversos países e de instituições europeias.

Foram dois dias consagrados à partilha de perspetivas e de experiências de gestão do património, tendo sido apresentados alguns “estudos de caso”, como a recente reforma dos museus em Itália e os modelos participativos e integrados em vigor na Finlândia e na Irlanda. Foram também dados a conhecer o passado e o futuro dos monumentos históricos em França e o atual panorama na vizinha Espanha.

A conferência de abertura foi proferida por Silvia Costa, eurodeputada e ex-Presidente do Comité de Cultura e Educação do Parlamento Europeu. O arranque dos trabalhos foi assinalado com palavras da diretora-geral do Património Cultural, Paula Silva, e do Coordenador Nacional do Ano Europeu do Património Cultural, Guilherme d’Oliveira Martins.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, marcou presença na sessão inaugural através de uma mensagem gravada em que enalteceu a importância estratégica do tema em debate, sublinhando o valor do Património Cultural para a paz e para o desenvolvimento das sociedades.

De Portugal, participaram nesta conferência diversas personalidades da esfera académica e institucional, como David Santos, Raquel Henriques da Silva, Paulo Pereira, António Barreto, Gustavo Cardoso, António Candeias, Maria Calado e Fernando António Baptista Pereira, entre outros.

Entendida como um ponto alto das comemorações do Ano Europeu do Património Cultural a nível nacional, foi objetivo da DGPC ao organizar este encontro dar voz aos desafios que o Património enfrenta hoje, na sua relação com a memória e o conhecimento, a sustentabilidade, a ciência, as alterações climáticas e as novas tecnologias, entre outros tópicos orientados para gestão e a projeção do futuro.